Início
Títulos por editor: Via Occidentalis
Foram encontrados 11 registos

              Fazer nova pesquisa
1 Lynx  -  A ARTE DO SEXO ORAL
A arte do sexo oral . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 174 p.
Num mundo em que a quase totalidade dos jovens encara sem preconceito os velhos "segredos da alcova", que poderá ainda dizer-se de novo sobre o sexo oral? Na verdade, quase tudo. Relegado umas vezes para a pornografia e a obscenidade e outras para uma linguagem médico-científica seca e sem ligação ao quotidiano, o sexo oral raramente é tratado com a franqueza e o à-vontade com que surge neste livro admirável. Escrito sem falsos pudores (mas também sem ofender quem lê), «A Arte do Sexo Oral» desvenda os prazeres mais íntimos do amor conjugal, libertando-o do "manto diáfano de fantasia" que há muito cobria a verdade da sua "nudez forte". Dedicado aos homens e mulheres interessados em melhorar a sua vida íntima e, com ela, as suas relações de afecto, esta obra usa uma linguagem sem aspas ou termos técnicos, tabus ou preconceitos. Essa lealdade e o rigor prático das suas ajudas e conselhos fazem dele um indispensável livro de cabeceira.


  CDU 613
2 Lynx  -  MORAIS, Jorge
Bocage maçon / Jorge Morais . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 164 p.
O «Irmão Lucrécio» da Loja Fortaleza: Manuel Maria de Barbosa du Bocage e o Iluminismo maçónico em Portugal no último quartel do século XVIII. Aproximação a um roteiro bibliográfico.


  JORGE MORAIS   MORAIS, JORGE   CDU 92
3 Lynx  -  ADRIÃO, Vitor Manuel
Quinta da Regaleira : a mansão filosofal de Sintra / Vitor Manuel Adrião . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 420 p.
A Quinta da Regaleira de Sintra tem neste livro um guia indispensável ao seu entendimento espiritual e iniciático, no qual passo a passo e de maneira inédita, todo o seu simbolismo arquitectónico, pictórico e paisagístico é analisado e decifrado à luz da Tradição Sagrada, revelando-o espaço consagrado de "Mansão Filosofal", de vocação Nacional, Sebástica e de Demanda consignada em Cavalaria Espiritual. Vitor Manuel Adrião, analisa em pormenor tanto a origem como a finalidade da Quinta da Regaleira, o seu misterioso proprietário original, António Augusto Carvalho Monteiro, consignado "Fulcanelli" português, a Linhagem "sobrenatural" dos Lusignan de Jerusalém a Sintra, o palácio alquímico da Peninha de Sintra, os mistérios da "Abadia" subterrânea de Lisboa e do palácio do Buçaco, o sentido paradisíaco do Zoo português, As tapeçarias herméticas de "la Dame à la Licorne", o Tratado Alquímico de D. Afonso V e o simbolismo esotérico do jazigo funerário da família Carvalho Monteiro, dentre muitos outros assuntos todos do maior interesse ao entendimento verdadeiro, lúcido e profundo da Portugalidade.


  ADRIAO, VITOR MANUEL   VITOR MANUEL ADRIAO   CDU 93
4 Lynx  -  DOYLE, Thomas P. ; SIPE, A. w. r. ; WALL, Patrick J.
Sexo, padres e códigos secretos : 2000 anos de abuso sexual na igreja católica / Thomas P. Doyle, A.w.r. Sipe, Patrick J. Wall . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 394 p.
Em 1984 rebentou nos Estados Unidos o escândalo dos padres pedófilos. Centenas de sacerdotes sentaram-se desde então no banco dos réus, cobrindo a Igreja de vergonha e semeando a dúvida e a perplexidade entre milhões de fiéis em todo o mundo. Infelizmente, como se veio a comprovar, o abuso sexual de menores por membros do clero não se limita àquele país nem constitui, sequer, um fenómeno novo. Este livro, corajosamente escrito por três homens da Igreja, revela a amplitude assustadora da pedofilia clerical e desenterra dos arquivos oficiais documentos que provam que já no século I os cristãos se debatiam com o problema. Nesta obra, os autores questionam ainda, com frontalidade e rigor, a essência do celibato dos padres e o estranho silêncio cúmplice de bispos e cardeais perante a vastidão dos abusos sexuais cometidos; e analisam a forma como, no seu conjunto, a Igreja Católica lidou com uma tragédia que abalou os seus alicerces milenares.


  A. W. R. SIPE   DOYLE, THOMAS P.   PATRICK J. WALL   SIPE, A. W. R.   THOMAS P. DOYLE   WALL, PATRICK J.   CDU 8
5 Lynx  -  ADRIÃO, Vitor Manuel
Lisboa secreta : capital do quinto império / Vitor Manuel Adrião . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 192 p.
O mesmo autor de «Quinta da Regaleira - A Mansão Filosofal de Sintra», debruça-se sobre a História não-contada da Capital de Portugal - a Lisboa Secreta. A origem histórica e mítica, as gentes e os monumentos, as crenças e os mistérios, a evolução da cidade rumo ao cumprimento da Utopia feita V Império, promessa de Advento repetida de Bandarra a Fernando Pessoa.


  ADRIAO, VITOR MANUEL   VITOR MANUEL ADRIAO   CDU 93
6 Lynx  -  GOLDSCHLÄGER, Alain ; LEMAIRE, Jaques Charles
A conspiração judaico-maçónica / Alain Goldschläger, Jaques Charles Lemaire . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 148 p.
Qual o poder efectivo da maçonaria na ordem mundial? Desfazer todas as dúvidas em torno do mito de uma grande conspiração judaico-maçónica é o objectivo da mais recente - e polémica - obra de Alain Goldschläger e Jaques Charles Lemaire. Os autores põem em causa a "ingenuidade" de uma teoria que justificou, no passado, os intentos criminosos e sangrentos de fundamentalistas Católicos, Islâmicos e de Extrema-Direita. «As conspirações existem; a conspiração, não». Se é inquestionável que em todas as épocas do passado foram urdidas manobras para mudar uma situação política, como foram os casos de, por exemplo, o assassinato de Júlio César ou o fim «forçado» de Napoleão, os investigadores Goldschläger e Lemaire defendem que não é possível, nem historicamente plausível, falar-se numa grande conspiração mundial judaico-maçónica. Numa obra que pretende deitar por terra uma teoria que justificou acontecimentos como o Holocausto, e demonstrar o absurdo lógico e histórico da aliança atribuída aos judeus e aos franco-maçons, os autores partem de uma análise histórica e sociológica para atribuir ao poder do mito uma "lógica de exploração", implementada através da manipulação histórica e argumentativa por parte de determinados agentes. Segundo os autores, o mito - que teve origem no final do séc. XIX - subsiste na actualidade através dos "insuspeitos" meios da literatura e do cinema: James Bond já não defende a honra ou vida da rainha de Inglaterra, para se opor às pretensões de domínio mundial do Spectre. Por outro lado, Luke Skywalker salva as galáxias das garras do «Império do mal». Para Goldschläger e Lemaire, estas ficções arriscam-se a criar, inadvertidamente, um terreno fértil para os espíritos fracos, mais inclinados a aceitar uma explicação simplista e totalizante do real. «A Conspiração Judaico-Maçónica» é uma obra explicativa, que pretende lançar um alerta para os perigos do desvio de pensamento e da manipulação histórica e desfazer um mito que já permitiu demasiados excessos, em nome de uma luta mobilizada pelo extremismo.


  ALAIN GOLDSCHLAGER   GOLDSCHLAGER, ALAIN   JAQUES CHARLES LEMAIRE   LEMAIRE, JAQUES CHARLES   CDU 93
7 Lynx  -  RAHN, Otto
Cruzada contra o graal : a luta entre os cátaros, os templários e a igreja de Roma / Otto Rahn . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 344 p.
«Cruzada contra o Graal» foi o livro que popularizou a lenda dos Cátaros e do Santo Graal. A primeira edição apareceu na Alemanha em 1933, na qual Otto Rahn relata as expedições que realizou nas grutas dos Pirinéus onde os heréticos cátaros se refugiaram no século XIII. Durante décadas o livro foi traduzido em várias línguas e inspirou autores como Trevor Ravenscroft e Jean-Michel Angebert. Otto Rahn acreditava que o épico «Parzival» de Wolfram von Eschenbach era a chave para os mistérios cátaros e para a localização do Santo Graal. Rahn via no «Parzival» não uma obra de ficção mas um relato histórico dos Cátaros e dos Cavaleiros Templários, guardiães do Graal. A cruzada do Vaticano contra os Cátaros tornou-se numa guerra que colocou Roma contra o Amor, na qual a igreja triunfou, pela espada e pela fogueira, sobre a pura fé dos Cátaros.


  OTTO RAHN   RAHN, OTTO   CDU 82-3
8 Lynx  -  FELGUEIRAS, António José Sarmento
Porquê : confidências de quem perde um filho / António José Sarmento Felgueiras . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 220 p.
Para os clássicos a pior tragédia era sobreviver à morte dos filhos. António José Sarmento Felgueiras perdeu o Ricardo e relata-nos o sofrimento causado por esse vazio na vida de uma família, num livro que pretende ser um traço de união, uma partilha, com todos os que tendo passado por tamanho infortúnio continuam a encarar a vida com esperança e amor.


  ANTONIO JOSE SARMENTO FELGUEIRAS   FELGUEIRAS, ANTONIO JOSE SARMENTO   CDU 82-94
9 Lynx  -  AMIS-MILLER, T.
Do Olimpo à internet : pedofilia, pederastia e efebofilia no espaço público / T. Amis-miller . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 144 p.
A atracção erótica de adultos por jovens e crianças não é um fenómeno novo: as suas raízes mergulham fundo nas tradições da civilização clássica, onde a pederastia era protegida pela lei, estimulada pela família e celebrada por sacerdotes, filósofos e artistas. O presente ensaio questiona, com rigor e sem preconceitos, uma das práticas mais antigas da história do Homem, hoje envolvida pelas sombras negras da pedofilia predatória, da pornografia, do abuso, da violência e da exploração da miséria. E disseca a hipocrisia da sociedade ocidental que, a par de uma política de repressão dos comportamentos sexuais desviantes, não cessa de explorar sub-repticiamente o erotismo infanto-juvenil, o lolitismo e os paraísos artificiais de uma época dominada pela "cultura" do "casting", do espectáculo e do utilitário.


  AMIS-MILLER, T.   T. AMIS-MILLER   CDU 82-4
10 Lynx  -  SILVA, Pedro
Cátaros : história de uma heresia / Pedro Silva . - Lisboa : Via Occidentalis, 2007. - 132 p.
Depois de ter publicado vários livros sobre os Cavaleiros da Ordem do Templo, Pedro Silva apresenta ?Cátaros ? História de uma heresia?, onde se debruça sobre os processos ideológicos e sociais que levaram ao aparecimento ? e extinção ? desta seita religiosa considerada herética. Apesar da sua curta existência, e principalmente do seu forçado desaparecimento, ainda hoje, vários séculos volvidos após a sua extinção oficial, somos tocados pelos trágicos acontecimentos da heresia albigense. Apresentando-se como um dos temas mais apaixonantes da história da cristandade, a heresia dos cátaros (kataroi, a palavra grega para puro) ou albigenses (em razão da sua preponderância na cidade de Albi, na França Meridional), surge no início do século XII, no Sul de França. As dissidências ideológicas levam à sua perseguição imediata pela Igreja Católica, que culmina com a sua extinção, no séc. XIV, dentro do quadro que conduziu ao aparecimento da Inquisição. Derivando da ideologia cristã, os Cátaros foram considerados hereges não somente porque defendiam o regresso a uma forma de cristianismo mais primordial, através da recusa completa dos bens materiais, mas especialmente porque o surgimento desta seita marcou o regresso de uma forma de Maniqueísmo que opunha ao monoteísmo a existência de dois deuses, um bom, espiritual, e um mau, material. Na época actual, onde os radicalismos teológicos voltam a assumir uma extrema importância e onde a compreensão mútua é cada vez mais essencial para a paz mundial, "Cátaros ? História de uma heresia? é uma obra que parte de um caso específico para reflectir, em última análise, sobre as perseguições motivadas pelo dogmatismo religioso e pela intolerância, e as suas consequências sobre o rumo da História.


  PEDRO SILVA   SILVA, PEDRO   CDU 82-3
11 Lynx  -  MORAIS, Jorge
Com permissão de sua majestade : família real inglesa e maçonaria na instauração da República em Portugal / Jorge Morais . - Lisboa : Via Occidentalis, 2006. - 222 p.. - (15x22cm)
A implantação da República em Portugal, em 5 de Outubro de 1910 (completam-se agora 95 anos), não foi resultado exclusivo da revolta militar personificada na Rotunda pelo comandante Machado Santos e apoiada nas ruas pelas células carbonárias de Lisboa. Uma conspiração internacional, envolvendo a Maçonaria inglesa e a Família Real britânica, deu aos revoltosos portugueses a garantia prévia (e escrita) de que a Inglaterra, a França e a Espanha não levantariam um dedo para salvar a Dinastia de Bragança. E só depois de obtida esta garantia o estado-maior revolucionário avançou para pôr fim à Monarquia mais antiga do Continente Europeu.


  JORGE MORAIS   MORAIS, JORGE   CDU 93

Resultado  
 
Formato  Criar ficheiro de texto
 Ver registos seleccionados
 Versão para imprimir
 Abreviar as referências
 Enviar por email
   Fazer nova pesquisa

Powered by SIRIUS

Escaparate é um serviço da BookMARC para a comunidade do livro