Início
Títulos por editor: QuidNovi
Foram encontrados 21 registos

              Fazer nova pesquisa
1 Lynx  -  SARAIVA, Maria José
O bom pinheiro / Maria José Saraiva . - Lisboa : QuidNovi, 2007. - 32 p.
Este é um livro que, através de uma história de ficção sobre dois pinheiros - um manso e outro bravo -, alerta as crianças para a conservação da natureza e os perigos a que a floresta está sujeita todos os dias pelas acções descuidadas do homem. O pinheiro mais velho - o manso - faz de tudo para salvar o mais novo - o bravo - de acções inadvertidas, tempestades, roubo de resina e pragas; este, porém, não lhe dá ouvidos nem quer contar com a sua ajuda, sempre egoísta e insatisfeito, ansioso por ficar com todo o espaço em que ambos estão plantados, junto de uma falésia. Porém, num dia de muito calor, no pino do Verão, um incêndio propaga-se pelo pinhal e os bombeiros pouco conseguem contra as chamas: o pinheiro manso ainda tenta salvar o companheiro, mas não o consegue. Este cai pela falésia... Para além da história propriamente dita, publicada oportunamente no mês em que costumam começar os grandes calores e, com eles, os grandes incêndios florestais, este livro tem um pequeno apêndice didáctico que explica às crianças as características dos pinheiros (tronco, flores, pinhas, etc.) e as principais e pragas e perigos a que os pinhais estão sujeitos todos os anos.


  MARIA JOSE SARAIVA   SARAIVA, MARIA JOSE   CDU 82-93
2 Lynx  -  SALBI, Zainab
Dividida / Zainab Salbi . - Lisboa : QuidNovi, 2007. - 304 p.
Crescer à sombra de Saddam e fugir à tirania. Zainab Salbi tinha apenas onze anos quando o pai foi escolhido como piloto pessoal de Saddam Hussein e a sua vida ficou marcada para sempre por esse facto. A mãe, a bela Alia, ensinou-lhe os dons necessários para sobreviver: um sorriso de plástico, dizer a tudo que sim, enterrar em compartimentos no cérebro os horrores que via à sua volta. «Aprende a apagar as recordações», ensinava-lhe. «Saddam sabe ler-nos nos olhos.» Nestas memórias muito ricas do ponto de vista visual, uma líder na luta pelas mulheres vítimas de guerra, revela os seus laços com um ditador, depois de os ter mantido em segredo durante anos. Descreve a tirania como a viu – através dos olhos de uma criança privilegiada, de uma adolescente rebelde, de uma mulher violada e, por fim, de uma figura pública que se esforça por vencer o dom que a manteve viva: o silêncio. Zainab tinha apenas vinte anos quando a mãe a convenceu a aceitar um casamento arranjado na América. Viu-se de repente casada com um desconhecido que a maltratava e fugiu-lhe. Afastada do seu país e da família pela Guerra do Golfo, sem saber que a mãe a mandara embora para a salvar de um interesse cada vez maior de Saddam por si, recomeçou a vida. Só quando Alia estava a morrer é que Zainab se apercebeu de que tinha visitado zonas de guerra em todo o mundo interrogando mulheres em busca das respostas que só a mãe podia dar-lhe. Entre Dois Mundos é uma procura emocionante da verdade que aprofunda a nossa compreensão de temas universais como o poder, o terror, a submissão sexual e a pergunta que uma geração faz à anterior: Como deixaram que isto nos acontecesse? A criança que havia em Salbi precisava de saber por que razão o pai não a levara dali a voar...


  SALBI, ZAINAB   ZAINAB SALBI   CDU 82-3
3 Lynx  -  FERRARIS, Zoë
À procura de Nouf / Zoë Ferraris . - Lisboa : QuidNovi, 2007. - 352 p.
Um romance de mistério passado na Arábia Saudita. Há uma semana que Nayir Ash-Sharqui, guia do deserto e muçulmano fiel e praticante, anda à procura de Nouf, irmã do seu amigo Othman e filha mais velha de uma conhecida e abastada família saudita. Ninguém sabe ao certo se ela foi raptada, se simplesmente fugiu, mas, quando um grupo de beduínos encontra finalmente o seu corpo sem vida, Othman pede a Nayir que descubra como foi Nouf acabar, morta e grávida, no meio do deserto. A tarefa de Nayir não é de forma alguma facilitada pelos códigos sociais árabes: não lhe é permitido falar com as irmãs nem com as amigas de Nouf, nem, de resto, com qualquer mulher solteira que não venha escoltada por um parente. Só os homens da família - os irmãos e o noivo de Nouf - poderão dar-lhe informações sobre a vida da jovem. Mas nenhum deles parece poder, ou querer, fazê-lo... A única pessoa que está disposta a ajudar Nayir, quer ele queira a ajuda dela, quer não, é a noiva de Othman, uma rapariga emancipada chamada Katya, que trabalha no gabinete do médico legista. Num país onde os códigos morais e religiosos são dos mais rígidos, o comportamento independente de Katya choca com tudo aquilo que Nayir acredita dever ser próprio de uma mulher. Mas, à medida que vão trabalhando juntos na resolução do assassinato de Nouf, Nayir começa a apreciar a inteligência viva de Katya e a sua paixão pela verdade; e, à medida que cresce a sua admiração por ela, vai-se estreitando cada vez mais o abismo entre os seus desejos e as suas crenças... Lutando simultaneamente com as suas convicções religiosas e com o enorme desejo de encontrar uma mulher e fundar uma família, a investigação de Nayir cedo se transforma numa busca da verdade não apenas em relação ao que aconteceu a Nouf, mas também em relação a si próprio. Uma intriga magnificamente tecida num romance que consegue reunir ao suspense e a um desenlace surpreendente a originalidade de uma perspectiva única, inteligente e sem preconceitos sobre os códigos de uma sociedade que continua a ser, para nós, ocidentais, largamente desconhecida.


  FERRARIS, ZOE   ZOE FERRARIS   CDU 82-3
4 Lynx  -  PITTA, Eduardo
Cidade proibida / Eduardo Pitta . - Lisboa : QuidNovi, 2007. - 136 p.
Embora dê aulas em Lisboa, é em Londres, na Primavera de 2001, que Rupert conhece Martim. O encontro muda a vida dos dois. De regresso a Portugal, Rupert troca o seu modo de vida pelo de Martim. Por seu intermédio, acede a um meio que lhe é completamente estranho, o das famílias tradicionais com casa no Estoril e assento em poderosos conselhos de administração. Contrariado, vê-se obrigado a privar com um grupo de homens arrogantes com quem Martim estava habituado a programar temporadas de ópera em Nova Iorque e Salzburgo, carnavais em Veneza e compras em Milão. Rupert sabe que não faz parte desse mundo. Tudo visto, a única cedência de Martim foi ter concordado em deixar o gato em casa da mãe para ir viver consigo. No resto manteve-se inflexível. E certo alheamento da realidade fez com que levasse tempo a perceber que a história de ambos era atravessada por zonas de sombra... Cidade Proibida é o retrato de uma certa Lisboa, na actualidade.


  EDUARDO PITTA   PITTA, EDUARDO   CDU 82-3
5 Lynx  -  PITTA, Eduardo
Persona / Eduardo Pitta . - Lisboa : QuidNovi, 2007. - 96 p.
Três contos (o último praticamente uma novela) que tiveram enorme sucesso aquando da sua publicação e são agora reeditados ao mesmo tempo que é lançado o primeiro romance do autor, Cidade Proibida. Três histórias passadas em Moçambique com o mesmo protagonista, Afonso, em três fases diferentes do início ao fim da adolescência. Histórias da vida privada que tocam a vida pública, ritmo acelerado, reactivação de experiências de leitura do património libertino, marca identitária, mnemónica moçambicana, crónica desencantada da borrasca Imperial, narrador autoritário, pathos autobiográfico e sobredeterminação da pulsão erótica, tudo concorre para fazer desta trilogia de contos a versão moderna de uma educação sentimental que é também a história de um duplo abuso.


  EDUARDO PITTA   PITTA, EDUARDO   CDU 82-3
6 Lynx  -  MOREIRAS
Elogio da ginja / Paulo Moreiras . - Lisboa : QuidNovi, 2006


  MOREIRAS   CDU 641.5
7 Lynx  -  YANGCHEN, Soname
A filha do Tibete / Soname Yangchen . - Lisboa : QuidNovi, 2006


  SONAME YANGCHEN   YANGCHEN, SONAME   CDU 82-3
8 Lynx  -  CARTER, Jimmy
Os valores em perigo / Jimmy Carter . - Lisboa : QuidNovi, 2006


  CARTER, JIMMY   JIMMY CARTER   CDU 82-3
9 Lynx  -  PAOLI, Monsenhor Pietro de
Vaticano 2035 / Monsenhor Pietro de Paoli . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 480 p.


  MONSENHOR PIETRO DE PAOLI   PAOLI, MONSENHOR PIETRO DE
10 Lynx  -  MACHADO, Jaime
Portugal : uma janela para o mundo / Jaime Machado . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 120 p.. - (28x28cm)
Uma viagem pelo Portugal de hoje e de outros tempos, através da imagem, é a proposta de Portugal: Uma Janela para o Mundo, livro que percorre o país de Norte para Sul, de Ocidente para Leste, mostrando o que de belo, títpico, inovador e único tem para mostrar a mais ocidental nação da Europa. Portugal: Uma Janela para o Mundo é acima de tudo um álbum de fotografias, útil para quem pretende ter uma visão geral de Portugal no arranque do século XXI, seja pela contemplação dos monumentos preservados seja pela observação das mais recentes obras de arquitectura, como a Casa da Música, no Porto, o Pavilhão de Portugal, em Lisboa, ou o premiado Estádio de Braga.


  JAIME MACHADO   MACHADO, JAIME   CDU 77
11 Lynx  -  CAMUS, Albert
Os cavaleiros de Vera Cruz / Albert Camus . - Lisboa : QuidNovi, 2006
O romance, uma história sobre a guerra e a religião narrada com um ritmo trepidante, tem como pano de fundo as guerras entre cristãos e muçulmanos pelo controlo da Terra Santa durante o século XII e cruza personagens históricas com personagens fantásticas para contar a história da demanda do cavaleiro Morgennes que, para sua própria redenção e para garantir a vitória da cristandade, vai tentar recuperar a Vera Cruz, a cruz onde Cristo havia sido crucificado, capturada pelas tropas de Saladino na terrível batalha de Hattin, onde o exército cristão fora dizimado.


  ALBERT CAMUS   CAMUS, ALBERT   CDU 82-3
12 Lynx  -  SOLER, Sílvia
39+1 / Sílvia Soler . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 160 p.. - (165x235mm)
Se no seu bolo de anos puseram - ou vão pôr em breve - 39 + 1 velas, este livro é para si. A protagonista, Ilia, é uma mulher com um trabalho apaixonante, três filhos - um adolescente e duas miúdas pequenas -, um ex-marido e um marido, sogros, pais e irmãos, amigas íntimas, uns quilos e umas rugas a mais e muito sentido de humor. Ilia odeia o Carnaval e os conselhos da esteticista, adora ir às compras e coscuvilhar com as amigas e entra em stress com as festas de Natal e as idas ao ginecologista. Em contrapartida, está-se completamente nas tintas para o facto de não saber fazer croquetes. Uma representante perfeita das mulheres liberadas mas ainda unidas ao cordão umbilical da eterna condição feminina, que lhes exige como bitola do sucesso serem insuperáveis como amantes, mães, filhas, esposas e profissionais- 39 + 1 é um romance inteligente e muito bem humorado, que cruza a cumplicidade feminina e acutilante de Sexo e a Cidade com as preocupações e atribulações de Bridget Jones e a transgressão alegre de Thelma e Louise e que, não por acaso, entrou na vizinha Espanha directamente para as listas dos mais vendidos.


  SILVIA SOLER   SOLER, SILVIA   CDU 82-3
13 Lynx  -  RODRÍGUEZ, Rosaura
Homens : nem machos, nem mansos, nem tansos / Rosaura Rodríguez . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 224 p.. - (145x210mm)
Os avanços tecnológicos e científicos são cada vez mais demonstrativos de que a diferença entre homens e mulheres não radica unicamente nos órgãos sexuais. [...] No dia em que nós, mulheres, entendermos que o grande obstáculo nas relações é a incapacidade de reconhecer que os homens são um complemento, e não um igual, que por serem biologicamente diferentes não preencherão nunca as nossas expectativas de igualdade, que o cérebro não lhes permite mais e as hormonas também não, nesse dia, e só então, compreenderemos que não são tão machos, tão mansos e menos ainda tão tansos como pensávamos. Apenas homens. Os livros de Rosaura Rodríguez sobre a mulher na sociedade contemporânea reúnem um sentido de humor mordaz e acutilante e uma profunda inteligência e capacidade de análise do mundo que a rodeia. Não por acaso, vários deles tiveram já tiragens de mais de cem mil exemplares, para um público que se estende dos Estados Unidos à América Latina. Rosaura Rodríguez foi miss mas está muito longe de ser uma boneca de caixa: fala às mulheres comuns como uma mulher comum, ou seja, como uma mulher que não quer abdicar de nada, e em primeiro lugar da sua própria sanidade, felicidade e bem-estar. Mais do que sexo, chic urbano e sapatos de grandes criadores, estamos aqui num território "real", de vidas inteiramente partilháveis e de um bom senso e energia irredutíveis: definitivamente mais Oprah Winfrey do que Candace Bushnell, Rosaura Rodríguez instila alegremente nas consciências das suas leitoras aquela mensagem mágica que nos faz acordar todas as manhãs e partir com genica para a luta: o poder de fazer as coisas é nosso, e o poder de as valorizarmos, e nos valorizarmos, também!


  RODRIGUEZ, ROSAURA   ROSAURA RODRIGUEZ   CDU 82-3
14 Lynx  -  ARAÚJO, Rosário Alçada ; FRANÇA, Catarina
O menino escritor / Rosário Alçada Araújo, il. de Catarina França . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 36 p. ; 21x24 cm
No dia dos seus anos, o pequeno João recebe da Tia Lili uma prenda muito especial: um livro bonito, grande, forrado a azul e com varinhas mágicas a enfeitá-lo. Nessa mesma noite, quando o rapazinho, cansado de muitas brincadeiras, se deita na cama e folheia o Livro de Encantar, é, sem querer, transportado para um mundo fantástico onde vivem duendes, bruxas e outras criaturas que ele pensava que só existiam nas histórias. Mas é então que a Fada Tagarela lhe conta que só vão àquela terra mágica os meninos que um dia se tornarão escritores...


  ARAUJO, ROSARIO ALCADA   CATARINA FRANCA   FRANCA, CATARINA   ROSARIO ALCADA ARAUJO   CDU 91-93
15 Lynx  -  MÃE, Valter Hugo
O remorso de Baltazar Serapião / Valter Hugo Mãe . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 192 p. ; 16,5x23,5 cm
Numa Idade Média brutal e miserável, os senhores feudais usam e abusam dos seus direitos e de quem trabalha nas suas terras. Baltazar, o protagonista ndeste romance, foi criado com a pobreza e a violência do seu tempo numa família em que a vaca - animal de estimação - parece, afinal, ter tanta importância como a mãe (ou mais: na verdade, toda a aldeia comenta em voz baixa que ele e os irmãos são filhos da vaca). Porém, no meio de tanta escuridão, Baltazar vê a luz: chama-se Ermesinda, é a mais bela e ajuizada de todas as raparigas da aldeia e até parece mentira que lhe esteja reservada. Mas está. E o casamento acontece como uma autêntica bênção dos céus, preparando-se Baltazar para a educação esmerada da sua esposa, uma vez que as mulheres, já se sabe, são ignorantes e, também por isso, muito perigosas. Mas eis que, ainda quase não houve tempo para os dois se conhecerem, o senhor põe os olhos em tão bela e apetecível criatura. E logo reclama que a mesma o visite todos os dias pela manhã, quando dona Catarina, a mulher, muito dada a chiliques e maleitas,


  MAE, VALTER HUGO   VALTER HUGO MAE   CDU 82-2
16 Lynx  -  WOODWARD, Bob
O homem secreto : a história do garganta funda do caso watergate / Bob Woodward . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 176 p.. - (Política)
Um livro sobre um dos segredos mais bem guardados da história americana, revelado ao mundo em 2005 - Quem era o Garganta Funda do caso Watergate? - escrito por Bob Woodward, um dos dois jornalistas responsáveis pela investigação do escândalo que levou à demissão de Nixon.


  BOB WOODWARD   WOODWARD, BOB   CDU 8
17 Lynx  -  AMAGO, Antonio ; RODRÍGUEZ, Nuria
Bemol saltitante : um ratinho ao piano / Antonio Amago, Nuria Rodríguez . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 42 p.. - (196 x 194 mm) . - Este livro inclui um CD-ROM multimédia interactivo com o tema principal de Bemol Saltitante (Fantasia Kortakowsky, de David López Cruz), a biografia do Bemol Saltitante, a história do piano, o conto em animação, partituras, fundos para o ambiente de trabalho do computador e um jogo que desafia a perícia para se ser um bom pianista.
A Família Saltitante, descendente da célebre família de músicos e artistas Os Saltitantes de Hamelin, refugiou-se no edifício do Conservatório Municipal de uma terra sem nome após a terrível razia de ratinhos que atingiu a cidade onde viviam quando por lá passou um maravilhoso e misterioso Flautista?. Bemol e os irmãos nasceram e cresceram entre instrumentos e melodias, nas velhas instalações da escola. Não é pois de estranhar, com tal ambiente e herança familiar, que Bemol adore música! Mas Bemol, como todos os jovens, é também muito curioso e aventureiro, e logo que cresceu um bocadito decidiu ir conhecer o mundo no estojo de um magnífico trombone, cujo dono era um músico ambulante. Viveu muitas aventuras dignas de serem narradas, mas um dia o dono do trombone foi visitar um amigo pianista. Quando Bemol o ouviu tocar uma belíssima peça ao piano resolveu que ali é que era uma casa onde valia a pena viver: um piano de cauda era um lugar amplo, elegante e quentinho, mas o que mais lhe agradava era que podia ouvir música horas a fio! Gostou tanto da moradia que ainda hoje lá vive, se bem que o espírito aventureiro deste pequeno roedor o leve por vezes a abandonar o seu confortável lar para ir em busca de outras aventuras, que não deixaremos de vos contar.


  AMAGO, ANTONIO   ANTONIO AMAGO   NURIA RODRIGUEZ   RODRIGUEZ, NURIA   CDU 82-93
18 Lynx  -  STUDART, Heloneida
Sem dizer adeus / Heloneida Studart . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 176 p.. - (165 x 235 mm)
Na família Nogueira Alencar é escolhida desde há dois séculos, em cada geração, uma filha cuja função será a de amparar a mãe na velhice e que não tem por isso direito a casar, nem a amar. Após o suicídio da sua tia Maria das Graças, Mariana, advogada carioca de sucesso, recebe um pacote que ela lhe deixou em herança e que contém seis cadernos amarelecidos onde a velha senhora registou o seu diário de juventude. Mariana vai encontrar aí uma história feita de tradição, opressão e ódio vivida por Maria das Graças e pela irmã mais nova, Melba, na sociedade cearense dos anos 40. Uma história que virá inesperadamente lançar luz sobre a própria infelicidade opressa vivida por si e pela sua irmã Leonor - também a mais nova - na actualidade, e explicar a tirania da matriarca decadente da família, a frigidez emocional de Mariana, o desespero conjugal à beira da explosão da outrora bela Leonor e o facto de, na família Nogueira de Alencar, toda a rebeldia feminina ser inexoravelmente castigada. Irão Mariana e Leonor, conseguir matar os mortos que continuam vivos, e encerrar o capítulo dos amores interrompidos Sem Dizer Adeus? Uma história de selos quebrados e vinganças requintadas e sangrentas, de amores asfixiados e mortos à nascença em nome de lógicas de poder, ódio e repressão que são no fundo as mesmas, seja ao nível da família, seja ao nível do Estado, por uma das mais destacadas escritoras e militantes políticas brasileiras da actualidade, Heloneida Studart, uma mulher que faz história na história contemporânea das mulheres brasileiras e na história dos seus leitores, repartidos já por vários continentes.


  HELONEIDA STUDART   STUDART, HELONEIDA   CDU 82-3
19 Lynx  -  EDGE, Arabela
O deus da primavera / Arabela Edge . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 296 p.. - (165 x 235 mm)
Tendo como pano de fundo a cidade de Paris no rescaldo da Revolução Francesa, O Deus da Primavera narra a história do pintor Théodore Géricault e da criação do quadro épico que se tornou um marco fundamental do movimento romântico em pintura e um marco político de consequências imprevisíveis para o seu autor: "A Jangada da Medusa". Ao ganhar, com apenas vinte e um anos, o mais prestigiado prémio de pintura atribuído na época "a Medalha de Ouro do Salon", Théodore Géricault (1791-1824) procura agora um tema para a sua próxima obra-prima. Mas nem mesmo um estágio em Roma com um dos maiores mestres europeus parece tê-lo inspirado: Théodore está desesperadamente apaixonado e só consegue pensar em retratos de Alexandrine, a jovem que casou com o seu tio e de quem se tornou recentemente amante. Mas eis que, por mero acaso, descobre num jornal a história do naufrágio da fragata Medusa - uma catástrofe que fascinou e horrorizou o público francês com os seus relatos de traição, loucura, assassínio e canibalismo - e da qual o pintor não tomou conhecimento por se encontrar em Itália. Então, tomado de uma verdadeira obsessão, Théodore consegue encontrar o rasto a dois dos sobreviventes da tragédia e descobre finalmente o tema que procurava. Mas será que, depois dos seus relatos, conseguirá manter a sanidade? Na mesma linha de Rapariga com Brinco de Pérola ou Master and Commander, esta é uma história de grandes paixões que relata, com precisão e detalhe, os passos da criação de uma grande obra de arte e a loucura a que a perseguição da fama e da celebridade consegue levar os homens, dispostos por elas a tudo sacrificarem.


  ARABELA EDGE   EDGE, ARABELA   CDU 82-3
20 Lynx  -  RODRÍGUEZ, Rosaura
Não há mal que sempre dure...nem mulher que lhe resista / Rosaura Rodríguez . - Lisboa : QuidNovi, 2006. - 136 p.. - (145 x 210 mm)
Finalmente um livro sobre a difícil vida das mulheres que usa como principal arma crítica o sentido de humor para falar daquela vida que todos conhecemos bem. Não há mal que sempre dure... nem mulher que lhe resista é o manual perfeito para acabar de vez com os "dias de depressão feminina"; um livro que recorda ao chamado "sexo fraco" a grande verdade que a lógica da vida quotidiana às vezes parece apostada em fazer-nos esquecer: que ser mulher implica ser mesmo muito forte! Os livros de Rosaura Rodríguez sobre a mulher na sociedade contemporânea reúnem um sentido de humor mordaz e acutilante e uma profunda inteligência e capacidade de análise do mundo que a rodeia. Não por acaso, vários deles tiveram já tiragens de mais de cem mil exemplares, para um público que se estende dos Estados Unidos à América Latina. Rosaura Rodríguez foi miss mas está muito longe de ser uma boneca de caixa: fala às mulheres comuns como uma mulher comum, ou seja, como uma mulher que não quer abdicar de nada, e em primeiro lugar da sua própria sanidade, felicidade e bem-estar. Mais do que sexo, chic urbano e sapatos de grandes criadores, estamos aqui num território "real", de vidas inteiramente partilháveis e de um bom senso e energia irredutíveis: definitivamente mais Oprah Winfrey do que Candace Bushnell, Rosaura Rodríguez instila alegremente nas consciências das suas leitoras aquela mensagem mágica que nos faz acordar todas as manhãs e partir com genica para a luta: o poder de fazer as coisas é nosso, e o poder de as valorizarmos, e nos valorizarmos, também!


  RODRIGUEZ, ROSAURA   ROSAURA RODRIGUEZ   CDU 82-3

Resultado  
  Seguinte
Formato  Criar ficheiro de texto
 Ver registos seleccionados
 Versão para imprimir
 Abreviar as referências
 Enviar por email
   Fazer nova pesquisa

Powered by SIRIUS

Escaparate é um serviço da BookMARC para a comunidade do livro