Início
Títulos por editor: Mareantes
Foram encontrados 5 registos

              Fazer nova pesquisa
1 Lynx  -  BERNAYS, Edward
Propaganda / Edward Bernays . - Lisboa : Mareantes, 2006. - 184 p.. - (14x21cm)
Propaganda é um livro fascinante e controverso sobre como os vários poderes - governantes, grandes empresas, grupos de interesses, etc. - procuram controlar a opinião pública. Publicado pela primeira vez em 1928, Propaganda é, de facto, o primeiro manual de referência sobre a comunicação de massas. Merece tal designação pois é uma exaustiva apresentação de métodos e práticas de como moldar e controlar a acção e o pensamento do público no domínio da política, dos negócios, da arte, da educação e da ciência.


  BERNAYS, EDWARD   EDWARD BERNAYS   CDU 3
2 Lynx  -  MELO, António Clark
Culturalmente correcto : como ter sucesso no mundo da cultura / António Clark Melo . - Lisboa : Mareantes, 2006. - 68 p.. - (23 x 12 cm)
O último livro de António Clark Melo, «Citizen Kane in Portugal» (2005), é uma obra ímpar que a Mareantes Editora agora traduz sob o oportuno título, Culturalmente Correcto. Trata-se, como disse a ensaísta Elisa Matoso, de uma análise de um «notável comparatista, por um lado universalista, por outro lado, divulgador do ser profundo de Portugal».


  ANTONIO CLARK MELO   MELO, ANTONIO CLARK   CDU 82-3
3 Lynx  -  PELT, Jean-Marie
A solidariedade : nas plantas, nos animais, nos humanos / Jean-Marie Pelt . - Lisboa : Mareantes, 2006. - 192 p.. - (13,5 x 21,5 cm)
Uma interpretação, muito discutível, da obra de Darwin impôs a competição e a luta como os motores da vida, tanto da natureza como na sociedade. Em alternativa, o autor propõe-nos uma visão diferente: a natureza realiza inumeráveis sistemas de simbioses e solidariedades que desempenharam um papel determinante em toda a evolução biológica e sem as quais seria impossível de compreender o funcionamento dos ecossistemas. Para tal o autor apresenta-nos numerosos e variados exemplos como os dos líquenes e dos corais, seres duplos em que cada uma das partes presta serviços à outra; dos cogumelos, que alimentam as árvores que parecem parasitar. No reino animal, as prestações de serviços mútuos entre as espécies são efectivamente correntes. Peixes e aves praticam comportamentos de entreajuda que atestam um autêntico altruísmo: estes, como a amizade entre inúmeros mamíferos, não são exclusivos do homem. Quanto às sociedades humanas, estas edificaram magníficas organizações: as mutualidades, as cooperativas, a segurança social e os seguros, etc., que são a base da economia solidária. A elaboração de novos mecanismos de solidariedade torna-se, portanto, absolutamente necessária caso se pretenda amanhã assegurar a todos um emprego e um estatuto dignos dum ser humano: mas, também, para salvar o planeta das ameaças crescentes que pesam sobre o nosso modo do desenvolvimento.


  JEAN-MARIE PELT   PELT, JEAN-MARIE   CDU 57
4 Lynx  -  DOUGLASS, Frederick
Memórias de um escravo americano / Frederick Douglass . - Lisboa : Mareantes, 2006. - 192 p.. - (12,5 x 19,5 cm)
Frederick Douglass, nasceu escravo numa época em que a escravatura era considerada «normal», tanto social como moralmente, mas ao ousar denunciar a crueldade, a injustiça e a impunidade de tal prática, tornou-se uma daquelas vozes raras que ninguém, nem nada consegue abafar. Grande activista pela abolição da escravatura, dos direitos humanos e pela emancipação feminina, foi o primeiro escravo a tornar-se político, chegando a ser cônsul dos Estados Unidos da América no Haiti. Em Memórias de um Escravo Americano, obra publicada pela primeira vez quando tinha 27 anos de idade narra-nos a sua vida de escravo e os seus combates contra a opressão, para os quais a aprendizagem da leitura foi decisiva. Ler hoje esta obra não é só tomar conhecimento de um testemunho impressionante, mas uma contribuição para o entendimento de que face a inumeráveis fenómenos actualmente considerados «normais», como o capitalismo selvagem, a exploração do homem e do ambiente, a busca desenfreada do lucro, é possível também levantar a voz e resistir.


  DOUGLASS, FREDERICK   FREDERICK DOUGLASS   CDU 82-94
5 Lynx  -  NOGUEIRA, Luís
Conversa de barbeiro / Luís Nogueira . - Lisboa : Mareantes, 2006. - 272 p.. - (13,5 x 21,5 cm)
Conversa de Barbeiro reúne algumas das crónicas publicadas, por Luís Nogueira, em dois semanários, Notícias de Gouveia e Terras da Beira desde 1996 até 2005, as quais não apresentam quaisquer preocupações temáticas ou doutrinárias específicas embora em algumas delas se detecte a visão do mundo que o autor compartilha. Estas crónicas encontram-se agrupadas em cinco pequenos capítulos ou secções. No primeiro, Disparates, título roubado a Goya, reúnem-se textos que visam na sua quase totalidade os ridículos ou os desmandos destes governos e de alguns dos seus barões. Ladram Sancho, segundo o autor, «é um pequeno parêntesis, que passa pela literatura, pela paixão dos livros, pela frase precisa e mortal de um poeta, pela morte de um escritor querido, por algum ridículo dos tais barões…» Desta Vez não Vou, é uma abordagem vincada pelo desencanto, e por vezes nostálgica, ao que foi a profissão do autor (professor). Depois em E Perdoai-nos os vossos Pecados, fala das mulheres, e da hipocrisia da sociedade em relação aos seus problemas. Por fim em Tango a Prémio é a nostalgia dos tempos da (sua) infância e dos personagens e ambientes mágicos que só naquela idade é possível esboçar. Conversa de Barbeiro, confronta-nos com as inquietações pessoais e sociais do autor nestes últimos dez anos, em que tanto tem sido posto em causa e titubeantes as respostas, e mostra-nos pelo exemplo da sua escrita como nos é tão necessário não virar costas e silenciarmo-nos.


  LUIS NOGUEIRA   NOGUEIRA, LUIS   CDU 82-94

Resultado  
 
Formato  Criar ficheiro de texto
 Ver registos seleccionados
 Versão para imprimir
 Abreviar as referências
 Enviar por email
   Fazer nova pesquisa

Powered by SIRIUS

Escaparate é um serviço da BookMARC para a comunidade do livro