Início
Títulos por editor: Assírio & Alvim
Foram encontrados 118 registos

              Fazer nova pesquisa
1 Lynx  -  BOWLES, Paul
Memórias de um nómada / Paul Bowles . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Testemunhos)
"Na Primavera, regressámos a Fez e ficámos no Belvedere. Eu estava a terminar "The Sheltering Sky" e a Jane estava imersa na sua novela "Camp Cataract". Ao raiar do dia, tomávamos o pequeno-almoço na cama no seu quarto. Depois, eu ia para o meu quarto, deixando a porta aberta para que pudéssemos comunicar, se assim o quiséssemos. Numa dada altura, ela estava em dificuldades com uma ponte que tentava construir sobre um desfiladeiro. "Bupple! O que é um cantilever, ao certo?" ou "Pode-se dizer que as pontes têm contrafortes?" Imerso na escrita dos meus capítulos finais, respondia-lhe o que me ocorresse, sem sair do meu estado voluntário de obsessão. Ela ficava calada durante um bocado, e depois voltava a chamar-me. A torrente do rio, mesmo por baixo das nossas janelas, deixava apenas ouvir os sons mais penetrantes; as comunicações tinham de ser bastante importantes, para que valesse a pena gritar. Após três ou quatro manhãs, apercebi-me de que algo estava errado; ela ainda estava na ponte. Levantei-me e entrei no seu quarto. Falámos sobre o problema durante um bocado, e confessei-me intrigado. "Porque é que tens de construir o diacho da coisa?", perguntei-lhe. "Porque não dizes apenas que estava ali, e pronto?" Ela abanou a cabeça. "Se não souber como foi construída, não consigo vê-la." Achei isto incrível. Nunca me ocorrera que tais considerações pudessem estar implicadas no acto de escrever. Talvez pela primeira vez vislumbrasse o que a Jane queria dizer quando afirmava, como muitas vezes o fazia, que escrever era "tão difícil"."


  BOWLES, PAUL   PAUL BOWLES   CDU 82-3
2 Lynx  -  LORCA, Federico García
Anjo e duende / Federico García Lorca, Trad. De Aníbal Fernandes . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Testemunhos)
Com vinte e um anos de idade e farto dos provincianismos de Granada, o jovem Lorca mergulhou de corpo inteiro no turbilhão cultural de Madrid. Lia, ouvia e via tudo, tinha vizinhos de quarto tão invulgares como Luis Buñuel e Salvador Dalí. Não frequentava as aulas, antes divertia-se e divertia. Em papéis soltos, as suas poesias começavam a encher-se de uma Andaluzia essencial, de morte cantada como mutilação trágica da vida, de touros e homens num abraço de agonia flamenca, de santos com suores e lágrimas de sangue, de santas com rendas e rosto de mulher nocturna, de ciganos em estado de inocência. Os anos de vida que lhe sobravam, dezassete, foram vividos assim - a escrever -, vagueando à volta deste mundo saído da Espanha profunda, que celebrava nos seus poemas.


  ANIBAL FERNANDES   FEDERICO GARCIA LORCA   FERNANDES, ANIBAL   LORCA, FEDERICO GARCIA   CDU 82-1
3 Lynx  -  SOUSA, Luis Amorim de
Bellini e Pablo também / Luis Amorim de Sousa . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Poesia Inédita Portuguesa)
"PARA UMA CENA DIFERENTE surgiste de perfil à boca do proscénio prestidigitação o teu espectáculo deixou-nos pálidos pálidos na ogiva dessa noite atravessada por rápidos cometas o mais azul de todos conhecia os teus gestos dedo a dedo e levou-nos para fora de olhos fitos a tiritar de pasmo no seu rasto seu crepitar seu leite seu almíscar"


  LUIS AMORIM DE SOUSA   SOUSA, LUIS AMORIM DE   CDU 82-1
4 Lynx  -  MIRANDA, Jorge Gomes
O acidente / Jorge Gomes Miranda . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Poesia Inédita Portuguesa)


  JORGE GOMES MIRANDA   MIRANDA, JORGE GOMES   CDU 82-1
5 Lynx  -  FREITAS, Manuel de
Juros de demora / Manuel de Freitas . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Poesia Inédita Portuguesa)
"TRAVESSA DOS GATOS à memória de Eugénio de Andrade Para quê mais versos? O poema está feito, cabe inteiro nestas sílabas de pedra onde gostei tanto de magoar os pés. Correm ao sol de Fevereiro - pretos, quase brancos e malhados - os príncipes desta terra, os únicos. Não te atrevas a segui-los, dona morte."


  FREITAS, MANUEL DE   MANUEL DE FREITAS   CDU 82-1
6 Lynx  -  PEREIRA, Helder Moura
Segredos do reino animal / Helder Moura Pereira . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Poesia Inédita Portuguesa)
"Das minhas mãos nasce uma história: não se percebe nada. Deve ter sido uma guilhotina da memória (hei-de perguntar porquê ao diabo) a actuar selectivamente num critério qualquer. O mistério do que falta preencher talvez faça de nós inteligentes, obrigados a reflectir entre o absurdo e a lógica."


  HELDER MOURA PEREIRA   PEREIRA, HELDER MOURA   CDU 82-1
7 Lynx  -  COSTA, Manuel Afonso
Caligrafia imperial e dias duvidosos / Manuel Afonso Costa . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Poesia Inédita Portuguesa)
"Emudece a casa à passagem dos presságios é tão nítido o quanto está vazia e permeável à ondulação da luz essa luz iníqua que da luz se esconde para aterrorizar incautos que ficam a ouvir a música que escorre das paredes por dentro da cal para soalhos sonoros lembras-te como rangiam mais quando menos queríamos ainda os ouço esses pés descalços essa desolação na fímbria dos pinhais na berma das dunas invadidas por destroços no alvoroço das grandes tempestades eu ficava à janela concentrado na suspensão dos timbres aterradores quando o céu negro se ramificava e dessa árvore caíam frutos luminosos."


  COSTA, MANUEL AFONSO   MANUEL AFONSO COSTA   CDU 82-1
8 Lynx  -  SANTOS, João Moreira Dos
O jazz segundo Villas-Boas / João Moreira Dos Santos . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Rei Lagarto)
"O Villas-Boas era o jazz em Portugal. Tudo o que existe hoje foi ele que fez. Se não fosse ele, ainda estaríamos na pré-história do jazz." Bernardo Moreira "Foi uma pessoa que sempre me acompanhou e tinha um carisma especial e uma vontade de estar com os músicos e partilhar connosco as suas aventuras. Foi um pioneiro do jazz em Portugal. Uma força da natureza a contar histórias. Isso aproximou-me muito do mundo do jazz, numa altura em que eu tinha 16, 17, 18 anos." Bernardo Sassetti "Trabalhei com ele durante 15 anos, entre 1974 e 1988, no Cascais Jazz. Conheci-o na década de 1950, através do Gérard Castello-Lopes, um dos fundadores do Hot Clube. Foi ele que trouxe o jazz para Portugal. Foi ele que fez o primeiro programa de rádio sobre jazz, com o Artur Agostinho." Duarte Mendonça "Luís Villas-Boas era a pessoa mais importante do jazz em Portugal. Tinha um grande amor por aquela música, sem intuitos lucrativos. A mim ajudou-me com o seu entusiasmo e sempre me tratou muito bem. Acreditou em mim e deu-me trabalho, e assim pude dedicar-me inteiramente à música que eu amava." Maria João "Foi o mais importante impulsionador do jazz em Portugal, numa época em que era muito mais difícil fazê-lo. Eu era pequeno e ainda não pensava em ser músico, já ele se dedicava ao jazz de forma desinteressada e apaixonada. O Cascais Jazz ficará para a história da música em Portugal como o único pulmão de uma música que era quase um sinal de liberdade." Mário Laginha


  JOAO MOREIRA DOS SANTOS   SANTOS, JOAO MOREIRA DOS   CDU 78
9 Lynx  -  GODINHO, Sérgio
55 canções de Sérgio Godinho : partituras / Sérgio Godinho . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Rei Lagarto)
"Foi há tantos anos que ainda me lembro: adolescente, eram livros como este que me levaram a experimentar as primeiras (e rudimentares) formas de escrita; e, desde aí, nunca me têm largado. Ou seja, tenho-os à mão e eles têm-me à perna. O acesso prático aos mecanismos que outros usaram para criar (ou criaram para usar) nunca deixou de me trazer luzes e dicas importantes, neste ofício intermitente da feitura de canções. Imitamos, transformamos, inventamos, emperramos e solucionamos, mas nunca a partir do nada - há sempre, num ponto de partida, de percurso ou de chegada, o que nos foi sugerido por outros saberes. Com livro ou sem livro. Mas é destes manuais que falamos: sabemos como em Portugal, são ainda, infelizmente, aves raras. Começam agora algumas a pousar, e serão cada vez mais bem-vindas. Que prenda para todos que praticam estas coisas, ter um dia acesso a toda a música portuguesa (enfim, não exageremos) neste formato, ou formatos afins. Estatisticamente, o meu contributo passaria a ser muito menor, e eu com isso no maior contentamento." Sérgio Godinho


  GODINHO, SERGIO   SERGIO GODINHO   CDU 78
10 Lynx  -  FERREIRA, António Mega
O deserto ocidental / António Mega Ferreira . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Peninsulares)
"Uma noite, há muitos anos, passeando pelas ruas estreitas do Marais, em Paris, na companhia de Eduardo Prado Coelho, reconfortados com as energias desencadeadas por duas garrafas de um Brouilly légèrement frappé, deparámos, ao virar de uma esquina, com uma loja que exibia, com a insidiosa indiferença com que os anúncios inteligentes costumam oferecer-se à surpresa dos passeantes, um nome de irresistível sugestão poética: Le désert occidental. Devemos ter pensado ao mesmo tempo na mesma coisa. Um de nós, juro que não sei qual, disse: que excelente título para um livro. Mas sei que fui eu que me adiantei: este é para mim. Magnânimo, Eduardo concedeu: está bem, podes ficar com ele." "Este não é um livro de ruínas nem de paisagens desoladas. Como atravessa lugares intensamente povoados, o título acaba por resultar quase ironia. O Deserto Ocidental era um título bonito, poético e melancólico. Tornou-se, ao fazer-se, um lugar de esperança e de alegrias várias, porque é maior o espaço sem fronteiras que se depara ao pensamento que os constrangimentos inexplicáveis em que, por vezes, se afoga o coração." António Mega Ferreira


  ANTONIO MEGA FERREIRA   FERREIRA, ANTONIO MEGA   CDU 82-3
11 Lynx  -  ZWEIG, Stefan
Magalhães, o homem e o seu feito / Stefan Zweig . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Peninsulares)
"Está cumprido o último dever na pátria. Chega a hora da despedida. A mulher, com quem durante um ano e meio foi realmente feliz pela primeira vez, está na sua frente, trémula, tendo nos braços o filho que lhe deu, e os soluços sacodem o seu corpo novamente abençoado. Abraça-a ainda uma vez, pela última vez, depois aperta a mão de Barbosa, cujo único filho ele leva consigo naquela aventura! A seguir, rapidamente, para não se deixar comover pelas lágrimas da mulher abandonada, sobe para o barco que o leva até San Lucar, onde a frota já está à sua espera. Uma vez mais, após se ter confessado, Magalhães comunga com todos os tripulantes na pequena igreja de San Lucar. Ao romper do dia - é terça-feira, 20 de Setembro de 1519, uma data que ficará na História universal -, as âncoras são levantadas com um tinido, as velas batem ao vento, os canhões ribombam na direcção da terra que vai ficando para trás: a mais longa viagem de descoberta, a mais temerária aventura da História da humanidade começa nesse preciso momento."


  STEFAN ZWEIG   ZWEIG, STEFAN   CDU 93
12 Lynx  -  A., Ruben
O mundo à minha procura vol. II / Ruben A. . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Obras De Ruben A.)
"Este segundo volume da Autobiografia de Ruben A. situa-se entre a chegada a Lisboa e a partida de Coimbra terminados os estudos universitários. Após o fascínio que tinha sido viver no Porto, no Campo Alegre, Ruben A. encontra o mundo à sua procura através das amizades que faz, dos professores que conhece, duma viagem à Áustria, à Alemanha e à Hungria, antes da guerra, do serviço militar, das "imensas distâncias" que vai fabricando, dos livros que lê, da pintura que descobre e da sua permanência em Coimbra na república do Babaouo. De passaporte na mão, o almejado canudo, perdidas algumas ilusões e esperando vir a ganhar outras, Ruben A. sai de Coimbra a caminho das luzes da ribalta. O espectáculo do quotidiano estava prestes a começar." Liberto Cruz


  A., RUBEN   RUBEN A.   CDU 92
13 Lynx  -  RÊGO, Raul
O processo de Damião de Goes na inquisição / Raul Rêgo . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Peninsulares)
"Quando relemos hoje o processo de Damião de Goes, não é sem um grito de indignação que vamos tomando conhecimento das acusações que lhe serviram de base - desde "comer carne em dia de defeso" e desprezar as imagens dos santos a ter falado com Lutero e ser amigo de Erasmo, desde a sua oposição à confissão auricular até à sua desvalorização das indulgências papais, assim pondo em causa o poder do Papa e a existência do Purgatório. Acusações reveladoras do vírus dogmatizante tantas vezes presente nas crenças religiosas, com a sua tendência para excluírem, com maior ou menor perseguição, aqueles que não se conformam ou ousam pôr em causa, no todo ou em parte, as suas doutrinas. Acusações que deixam também evidente o quanto de pernicioso pode existir no fenómeno de acasalamento entre um poder religioso ou ideológico, qualquer que ele seja, e o poder político." António Reis, na apresentação deste livro.


  RAUL REGO   REGO, RAUL   CDU 93
14 Lynx  -  BOWLES, Paul
Deixa a chuva cair / Paul Bowles . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (O Imaginário)
Nelson Dyar, um jovem americano cansado da monotonia da sua vida de empregado bancário, chega, depois da II Grande Guerra, à Zona Internacional de Tânger para começar uma nova vida. Wilcox, um vago conhecimento de infância, oferecera-lhe emprego na sua agência de viagens. Transposto para um meio que lhe é totalmente estranho, Dyar vagueia perdido entre os salões dos residentes ocidentais e os bares e bordéis da Casbah e entre as duas culturas - a árabe e a ocidental - sem compreender nenhuma. Paul Bowles retrata as figuras dessa sociedade que tão bem conheceu e inclui mesmo uma caricatura de si próprio. Dyar é, no entanto, uma personagem totalmente inventada. Um "Zé-ninguém", uma vítima, como ele próprio se descreve, com uma personalidade que se define apenas em termos da situação, alguém que, como lhe diz Daisy, nunca viveu. Retirado do ambiente ordenado em que existira até então, Dyar não consegue interpretar as reacções daqueles com quem se cruza, numa cidade dividida e corrupta: Hadija, a pequena prostituta, a terrível Eunice Goode, Thami, o contrabandista árabe que faz a ponte entre os salões do palácio Beidaoui e os bares da Casbah, Daisy de Valverde, Wilcox, com os seus negócios escuros, Madame Jouvenon e a espionagem, os berberes e o povo das montanhas, a população dos bairros indígenas e os cambistas judeus. A chuva cai incessante, transformando em rios as ruelas da Casbah e marcando as alterações do estado de espírito de Dyar. Se o céu do romance O Céu que Nos Protege era vasto e azul, o céu de Deixa a Chuva Cair, também omnipresente, é opressivo e escuro. A chuva que teima em cair, as nuvens que se acumulam, as ondas do Estreito de Gibraltar, o vento que assobia e faz bater a porta da cabana nas montanhas acompanham o percurso de Dyar até ao abismo inevitável.


  BOWLES, PAUL   PAUL BOWLES   CDU 82-3
15 Lynx  -  AL BERTO pseud.
Dispersos / Al Berto . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Obras De Al Berto)
"Reúnem-se neste volume textos dispersos publicados por Al Berto, sem que tivesse sido nossa intenção proceder a uma recolha exaustiva. Preferimos, na medida do possível, tentar que a selecção de textos obedecesse a um grau de exigência semelhante àquele que o Autor sempre demonstrou nos seus livros, e de que é exemplo o critério por ele adoptado em "O Anjo Mudo"." Luis Manuel Gaspar Manuel de Freitas


  AL BERTO PSEUD.   CDU 82-1
16 Lynx  -  AL BERTO pseud.
Degredo no sul / Al Berto . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Obras De Al Berto)
A Associação dos Municípios do Baixo Alentejo e do Alentejo Litoral, através do jornal "Diário do Alentejo", a Assírio & Alvim, a Longitude Zero Associação e o Centro Cultural Emmerico Nunes sentiram necessidade de homenagear Al Berto, por ocasião dos dez anos da sua morte. Sentiram urgência em celebrar o poeta refixando as suas próprias palavras. Este volume reúne (e refixa) a poesia alentejana do "aprendiz de viajante" - a poesia que escreveu em Sines, Milfontes, S. Torpes... É a expressão do desejo irresistível de regressar ao mar, ao sudoeste, seguindo os desertos e as cidades e anotando no jornal desta breve viagem algumas geografias assumidas por Al Berto. Ao Sul. No Alentejo.


  AL BERTO PSEUD.   CDU 82-1
17 Lynx  -  PINA, João ; GALIZA, Rui Daniel
Por teu livre pensamento / João Pina, Rui Daniel Galiza . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Livros De Fotografia)
"O livro Por Teu Livre Pensamento é o resultado de 25 entrevistas efectuadas a igual número de ex-presos políticos, por dois jovens sem qualquer memória pessoal do período em questão, que pela sua acção de luta contra o Estado Novo e em prol da implementação da Democracia em Portugal, viveram experiências de privação de liberdade e maus tratos nas prisões do fascismo. Uma das lamentações que os nossos entrevistados mais transmitiram foi o facto de, na sua opinião, Portugal ser "um país sem memória". Se com este modesto contributo conseguirmos dar um pouco a conhecer o que era viver no Portugal de há poucos anos atrás, e lutar pela sua transformação num país melhor, a nossa tarefa está cumprida." Rui Daniel Galiza "Exactamente um ano, um mês e um dia antes de a Grândola Vila Morena passar no Rádio Clube Português e os militares saírem à rua, morreu uma pessoa que marcou a minha vida, apesar de nunca o ter conhecido pessoalmente: o meu avô materno, Guilherme da Costa Carvalho. Ele foi o protagonista de várias histórias que ouvi, todas elas recheadas de detalhes das suas peripécias - as fugas de Peniche e Caxias, o paludismo que apanhou no Tarrafal, onde passou períodos na Frigideira." João Pina


  GALIZA, RUI DANIEL   JOAO PINA   PINA, JOAO   RUI DANIEL GALIZA   CDU 82-94
18 Lynx  -  LETRIA, Pedro
Mármore / Pedro Letria . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Livros De Fotografia)
"Mármore" é o novo livro do fotógrafo Pedro Letria. Trata-se de um projecto que o levou a países como Palestina, Inglaterra, Índia, Bósnia-Herzegovina e República Democrática do Congo, e no qual trabalhou durante vários anos. Da sala de autópsias do Instituto de Medicina Legal em Lisboa a uma esquadra de polícia em Diu, de um campo de refugiados sérvio-bósnio a uma empresa madeireira no Congo, da maternidade de Gaza ao primeiro salão erótico de Lisboa, as 44 fotografias deste livro criam uma narrativa única. "As imagens aqui reproduzidas têm qualquer coisa a ver com o trabalho e com a vida de todos os dias, mas certamente em quantidade insuficiente para poder qualificar este livro como um levantamento com credenciais documentárias. Em vez disso apresentam-nos a outro tipo de obra, mais frequentemente associado à literatura e, em particular, à poesia. A poesia envolve-se com as possibilidades da linguagem e pede-nos que reflictamos sobre o que sabemos, e quanto mais subliminar for esse conhecimento, melhor será o poema." "Na história do medium não existe nada como Mármore, nada com o seu alcance epistemológico. É verdade que até certo ponto é um relatório sobre o estado do mundo, mas é mais ainda um convite para compreendermos como nos podemos relacionar com tudo o que é." Ian Jeffrey, historiador de fotografia e professor no Goldsmiths College de Londres.


  LETRIA, PEDRO   PEDRO LETRIA   CDU 77
19 Lynx  -  CESARINY, Mário
Uma grande razão : os poemas maiores / Mário Cesariny . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Documenta Poetica)
Uma Grande Razão é uma antologia da poesia de Mário Cesariny, preparada pela Assírio & Alvim em sua homenagem. Ao proporem estes poemas como os poemas maiores de Cesariny, não estão os editores a admitir que a sua leitura dispense a de todos os outros; acham-na pelo contrário indispensável. Mas acham também que o conhecimento da obra do autor - escrita, pintada, exercida - não deixará nunca de depender deste núcleo central forte. "queria de ti um país de bondade e de bruma queria de ti o mar de uma rosa de espuma"


  CESARINY, MARIO   MARIO CESARINY   CDU 82-1
20 Lynx  -  BRAGA, Jorge Sousa
O poeta nu : poesia reunida / Jorge Sousa Braga . - Lisboa : Assírio & Alvim, 2007. - (Documenta Poetica)
"Adão e Eva Adão era polícia numa esquadra vizinha. Nos intervalos dos giros, subia duas a duas as escadas do atelier de Lempicka, despia a farda e o seu corpo nu e musculado pisava o soalho, como se pisasse o chão do paraíso. Tal como o outro Adão, desconhecia o chão que pisava e seria incapaz de reconhecer esse corpo nu que arrancava na tela um frémito de prazer a uma Eva desprevenida."


  BRAGA, JORGE SOUSA   JORGE SOUSA BRAGA   CDU 82-1

Resultado  
 20 seguintes  Fim
Formato  Criar ficheiro de texto
 Ver registos seleccionados
 Versão para imprimir
 Abreviar as referências
 Enviar por email
   Fazer nova pesquisa

Powered by SIRIUS

Escaparate é um serviço da BookMARC para a comunidade do livro